quarta-feira, 28 de julho de 2010

O que restou...


O que ficou de você em mim,
Foi a presença da sua ausência,
As lembranças que o tempo não apagou...
O que ficou de você nesse apartamento,
Foram algumas roupas, que logo serão devolvidas,
Os seus livros, alguns dos quais serão meus,
Aqueles que compramos juntos...
O que ficou foi a falta do seu sorriso nas manhãs.
E suas palavras ecoando na memória...
O que sobrou foi o seu olhar,
impresso na minha mente em preto e branco...
E o que restou do amor,
Foram apenas algumas flores secas,
Guardadas em meio a um livro...
O que ficou foi a vontade do que não foi
E que poderia ter sido...
Ficou a saudade do primeiro encontro,
E o desejo de que ele não houvesse acontecido...
Restou o silêncio das palavras não ditas,
E as estrelas que colamos no teto do quarto,
Algumas caíram quando você se foi...
O que sobrou foram nossos retratos e,
Quando vi uma foto da gente feliz,
Custei a acreditar que fosse real...
Ficaram os nossos erros,
talvez algum indício de perdão...
E então,
Lembrei de que não me preparei
Para a sua vinda,
E nem pude prever sua partida...
E quando você se foi de vez
O que eu poderia fazer?
Ficar com o que restou...
E o que restou fui eu.
E um vazio...
Algumas palavras são apenas lágrimas que foram escritas...

4 comentários:

bad disse...

As vezes penso que o amor é apenas um instante, um momento na vida que é feita de muitos momentos...
Por vezes dura apenas isso...apenas um momento...
Outras vezes, é um momento que dura a vida toda...

( guardo no coração alguns instantes que foram momentos na minha vida )

( Gosto de ler o seu blog )

Elizabeth ~ disse...

é estranho que assim seja, mas amor é isso, é viver momentos intensos, felicidades, e estar atendo a deslizes, pq a qualquer momento a historia pode ter fim... rsrs... eii lindo poema!!! to seguindo seu blog, espero sua visitinha tb! rsrs... bjos :*

Raphael disse...

O amor é um sentimento vivo, pulsante, com calor, com cor. E como tudo que pulsa e vive, um dia ele se apaga. E como tudo que se apaga, se reinicia, de uma nova forma, em um novo caminho, em um tempo que não sabemos quanto demora.

Wesley Viana disse...

Lindo, triste.. humano.
Só sei que a saudade dói!