segunda-feira, 11 de maio de 2015

Dia das Mães


Eu não tenho muitas fotos dela e as poucas que tenho já ganharam o tom amarelado do tempo. A primavera de Vera, minha mãe, foi cortada no verão de 94. Na época em que se revelava um filme de 36 poses de tempo em tempo e as cores já nasciam desbotadas no papel. 

Mas na memória, onde as cores sobrevivem, me lembro do alaranjado do céu quando o sol nascia. Ela me carregava no colo todo dia, às seis da manhã, para que eu pudesse vê-lo aparecer em meio aos altos pinheiros do quintal. Eu achava as cores das nuvens incríveis e não queria perdê-las nenhum dia. 

Lembro também do pé de azaleia cor-de-rosa, era sua flor preferida e ficava no jardim da casa de minha saudosa avó. O pé de azaleia ainda resiste ao tempo, na casa que agora é de minha tia, embora as folhas também tenham perdido a cor e já não floresça como há 20 anos.

Eu não me lembro de ter dado um abraço ou um presente nesse dia que é dela. Quem dirá feito uma homenagem. Mas ainda me lembro do seu rosto, do cabelo preto ondulado e de seus olhos verdes sempre que ouço a palavra mãe. 

Mesmo que eu tenha poucas fotos pra mostrar, ainda sobra muita saudade pra sentir.
Em tempo, um feliz dia das mães a todas as mamães por aqui.

sábado, 6 de setembro de 2014

Tudo mais bonito


Hoje não é um dia “especial”. Não é o dia em que completamos um ano de namoro, nem o seu aniversário. Mas me deu vontade de dizer um pouco do que eu penso, do que eu sinto quando estou com você, mesmo assumindo o risco de ser piegas e cair na breguisse.

Eu adoro o jeito que você me abraça. E o jeito que deita no meu colo só pra eu mexer no seu cabelo. E também adoro quando você mexe no meu mesmo sabendo que eu vou implicar com isso depois. Eu adoro a sua preocupação. Quando você pede pra eu mandar uma mensagem cada dia que chego em casa do trabalho, e insiste, mesmo sabendo que alguns dias eu vou estar cansada e deixar isso pra depois.

Eu adoro as nossas diferenças. Nossos mundos desalinhados acabam se tornando engraçados – e até bonitos. Eu adoro o seu carinho quando eu acordo de um pesadelo, chorando, porque você sempre faz ficar tudo bem na hora em que segura a minha mão. Eu adoro o seu jeito de dizer que me ama mesmo quando uso pijamas e pantufas de porquinho cor de rosa.

Eu adoro o seu jeito estabanado de ser. E quando tenta fazer de tudo pra me agradar. E sempre agrada. E o jeito com que fala “relaxa”, mesmo depois de eu quebrar todos os copos de vidro da sua casa. Eu adoro o jeito como você sorri e acha graça da minha falta de jeito.

Eu adoro quando você fica procurando filmes de terror só porque sabe que eu gosto. E mesmo não sendo o seu tipo favorito, você vê até o fim do meu lado e finge que gosta, que é só pra me deixar feliz. Mas eu também adoro fazer nada com você num domingo à tarde.

Sabe, eu amo você porque você me vê além de qualquer aparência. Porque sustenta o meu mundo quando olha nos meus olhos. Porque faz eu me apaixonar por você todos os dias e cada dia mais. Você é muito mais do que qualquer príncipe encantado que a Disney me fez acreditar quando eu era criança – e que já tinha desacreditado quando cresci.

No fim, este texto é pouco pra falar sobre você e sobre o que eu sinto, porque tudo fica mais bonito quando você está por perto. Mesmo que eu não seja muito boa me expressando com palavras, eu espero que eu possa expressar com meu amor.

A verdade é que todo dia ao seu lado é especial. 
Amo você.

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Quem eu guardo comigo


Esses dias uma amiga me disse: “É louco isso, pensar que todas as pessoas que conhecemos um dia vão embora e não lembraremos ou ouviremos mais falar delas. Vão cair no esquecimento como a gente...”.

Acho um engano. Nesses 27 anos conheci muita gente, gente que ainda guardo comigo. E não é apego. Já não tenho notícias da maioria delas, mas não significa que eu não me lembre de cada uma.

Carrego comigo lembranças de cada amizade que tive nos meus primeiros anos de vida. Alguns eram vizinhos, outros da pré-escola. Consigo me lembrar dos nomes e sobrenomes.

Me lembro dos meus amigos da adolescência, dos nossos ídolos, das músicas da época, de algumas conversas e sonhos, e até das praças que faziam a nossa diversão. Me lembro de quem organizava as festas e de quem aparecia com filmes e pipoca na minha casa.

Guardo comigo os meus amores, sim, todos eles. Os que duraram semanas e aqueles que duraram anos. Me lembro de seus rostos, dos velhos planos e das histórias (belas ou nem tanto!) que vivi com cada um.

Pode até ser que não nos falemos mais e eu já não saiba por onde andam, o que fazem, com quem estão e se hoje são mais felizes do que eram comigo, mas eu me lembro dos detalhes que importam – pelo menos para mim. E se essas pessoas se lembram ou não de mim é outra história. 

Cada um dá o sentido que acha que vale.

Penso que “louco” é deixar as pessoas passarem pela nossa vida sem guardar nada, nem uma história, nem uma lembrança, nem um bilhete amarelado no meio de um livro. Porque, ficando na nossa vida ou não, são essas pessoas que formam a nossa história. E a nossa história sempre vale a pena.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Faltou nossa música...


O que eu mais sinto é que não tivemos uma música. Não tivemos tempo. Uma música que fizesse eu me lembrar de você quando ela tocasse. Uma música que, se se eu sentisse uma saudadezinha lá no fundo, dessas que não doem, bastaria ouvi-la para me lembrar que foi bom.

Sinto porque nosso tempo foi curto. Não tivemos tempo de descobrir a sobremesa preferida um do outro. Não deu pra saber se você tem alergia a pimenta, aversão a jiló ou paixão por sushi. Mas sei que você não estranha café gelado.

Eu também sinto porque não tivemos tempo de amanhecer. Aquela sensação gostosa de acordar junto e ir até a padoca da esquina tomar café. Ver o seu cabelo bagunçado e o moletom amarrotado. Não senti seu abraço embaixo do edredom num dia chuvoso. Ah, mas eu me lembro do seu abraço mesmo assim. E da gente olhando a chuva também.

Não deu tempo e eu sinto. Sinto que não descobri qual foi o melhor dia da sua vida. A música que faz você viajar. Qual é o seu grande sonho ou aquilo que faz o seu coração vibrar. E bem por acaso descobri que seu encanto por Astronomia foi inspirado pelo seu avô – não tive tempo de te contar que o meu foi pela minha avó.

Sinto muito por não ter tido tempo de descobrir o que faz os seus olhos brilharem. E nem do que você mais sente falta – ou se sente falta. Não deu tempo de saber se você chora mesmo vendo filme ou se daria risada das minhas piadas sem-graça. Mas te contei que você tem o sorriso mais lindo que eu já vi.

Mas o que eu sinto mesmo, é pela música. Não tivemos. Então eu escrevi esse texto pra me lembrar de você quando o tempo passar.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Para a vida de alguém


Algumas pessoas não estão preparadas para fazer parte da nossa vida, e talvez nunca vão estar.

Porque para elas, não importa o que a gente faça, o que a gente dê, o que a gente sinta, o que a gente sonhe.

Por mais que façamos o possível para nos tornarmos suficientemente bons e nos desdobremos para ser o que esperam, para elas, nunca seremos.

Porque para elas não importa o que a gente ama, o que a gente busca e tampouco o quanto a gente se esforça.

Elas não estão preparadas – ou talvez realmente não queiram - ser especiais na vida de alguém.

Entenda e aceite.

Elas vão seguir suas vidas assim.

E a gente vai seguir e encontrar alguém disposto e preparado para fazer parte da nossa.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Antiga Benção Celta

Li em um blog, gostei e decidi compartilhar.


"Que o caminho venha ao teu encontro,
Que o vento sempre sopre às tuas costas,
E a chuva caia suave sobre teus campos,
E até que voltemos a nos encontrar,
Que Deus te sustente suavemente na palma de sua mão.
Que vivas todo o tempo que quiseres,
E que sempre o possas viver plenamente,
Lembras sempre de esquecer as coisas que te entristeceram.
Porém nunca esqueças de lembrar daquelas que te alegraram...
Lembras sempre de esquecer os amigos que se revelaram falsos,
Porém nunca esqueças de lembrar daqueles que te permanecem fiéis.
Lembras sempre de esquecer os problemas que já passaram...
Porém nunca esqueças de lembrar as bençãos de cada dia,
Que o dia mais triste de teu futuro,
Não seja pior que o dia mais feliz de teu passado.
Que o teto nunca caia sobre ti,
E que os amigos reunidos debaixo dele nunca partam...
Que sempre tenhas palavras cálidas em um anoitecer frio,
Uma lua cheia em uma noite escura,
E que o caminho sempre se abra à tua porta.
Que vivas cem anos, mas com um ano extra para arrepender-te,
Que o Senhor te guarde em sua mão,
Mas que não apertes muito seus dedos...
Que teus vizinhos te respeitem,
Os problemas te abandonem,
Os anjos te protejam e o céu te acolha,
E que a sorte das colinas Celtas te abrace...
Que as bençãos de São Patrício te contemplem.
Que teus bolsos estejam pesados, e teu coração leve,
Que a boa sorte te persiga, e a cada dia e cada noite,
Tenhas muros contra o vento, um teto para a chuva,
bebidas junto ao fogo...
Risadas que consolem aqueles que amas,
E que teu coração se preencha com tudo o que desejas...
Que Deus esteja contigo e te abençoe,
Que vejas os filhos de teus filhos,
Que o infortúnio te seja leve e breve...
E que ele te deixe rico de bençãos.
Que não conheças nada além da felicidade deste dia em diante,
Que Deus te conceda muitos anos de vida...
Pois com certeza Ele sabe que a terra não tem anjos suficientes...
E assim seja a cada ano e que vivas para sempre."

terça-feira, 2 de julho de 2013

Algumas coisas...


Algumas coisas
 a gente sabe, bem no fundo, que foram feitas pra não dar certo.
Por mais que a gente insista em acreditar no destino, nos sinais que não passam de coincidências ou nos livros com finais sempre felizes.
Algumas coisas a gente tem que deixar passar.
Por mais que isso signifique perder o chão, as esperanças ou ficar presa sozinha num quarto escuro.
Algumas coisas não são como a gente acredita. 
Porque a gente tem mesmo essa mania de idealizar e deixar se seduzir pela mentira.
Algumas coisas a gente tem que jogar fora.
Isso vale para objetos, números de telefone, sentimentos, desejos, certezas e ilusões.
Algumas coisas a gente sente, bem no fundo, que nunca vão voltar.
Aí a gente tem que aceitar. E recomeçar.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Diálogo - Parte I


- Mas eu insisto, não sou o tipo de pessoa que desiste fácil. Sei que um dia ele vai acordar e dizer: "Essa é a garota certa pra mim".
- E de onde vem tanta certeza?
- Coração não se engana, amigo.
- Eu tenho certeza que vai ser diferente. Um dia você vai acordar e dizer: "Ele não era o garoto certo pra mim". E então vai encontrar alguém que te ame desde sempre, e sabe o quanto você é especial.
- E por que tem tanta certeza disso?
- Porque eu te amo. E coração não se engana.
- Mesmo?
- Você quem disse.

quarta-feira, 12 de junho de 2013


Eu quero viajar com você ouvindo e cantando a nossa música;
Eu quero estar com você quando o sol nascer – e quando ele se for;
Eu quero deitar na grama e ficar olhando o céu e a nossa estrela;
Eu quero você me jogando na piscina;
Eu quero ter dois cachorros e alguns gatos;
Eu quero fazer a sua comida preferida e te surpreender;
Eu quero vinho, chocolates e filmes bobos;
Eu quero ouvir você falar do seu dia;
Eu quero pegar a estrada com você sem rumo no fim de semana;
Eu quero a gente dançando na chuva;
Eu quero a gente madrugando na praia;
Eu quero entrar de mãos dadas com você no cinema aos domingos;
Eu quero montar um álbum de fotos só nossas;
Eu quero morrer de rir jogando nosso game favorito;
Eu quero ver você sorrindo;
Eu quero a gente pirando num show de rock;
Eu quero a gente decorando o nosso cantinho e fazendo compras no supermercado;
Eu quero você mexendo no meu cabelo;
Eu quero preparar o seu café;
Eu quero o seu abraço nas noites frias;
Eu quero acordar todo dia e pra sempre ao seu lado.



Eu quero que um dia você leia isso.

domingo, 26 de maio de 2013

:)

Dos conselhos mais bonitos e valiosos que ouvi nos últimos tempos:

"Você tem que ser sincera com seu coração, pois esta é a SUA vida. Faça dela segundo os seus desejos mais importantes para que você não se arrependa de não ter vivido conforme o que seu coração pedia."

Ouça o coração que, lá na frente, tudo se explica!