quinta-feira, 12 de agosto de 2010

[Des]amor moderno


O amor está com a data de validade vencida. Se não, está pra vencer. Os casais cada vez mais pensam no “eu” e se esquecem do “nós”. Cobram por amor “full time”, mas não estão dispostos a doar-se inteiramente por esse mesmo amor que esperam. Querem o “feedback” da atenção que não dão.

Companheirismo, paciência e tolerância com os defeitos do parceiro não têm mais espaço. Cederam seus lugares ao desejo de um “amor mercadológico” e instantâneo: tenho tudo o que quero, experimento, uso, jogo fora ou troco por um modelo melhor na hora que eu quiser. Os aplicativos de pegação estão aí: é “delivery de amor”, 24 horas.

Tem relacionamento que segue a linha “fast-food”. Isso mesmo: comida rápida. Muitas vezes cobram a lealdade do parceiro, mas não querem prender-se a uma única pessoa já que há tanta oferta barata por aí. E tão barata e fácil, que aquele belo “amor à primeira vista” já deu lugar ao “amor a prazo”.
Sim, e o prazo é curtíssimo: é quase um amor descartável, encontrado aos montes por “search” nas redes sociais. Ganha quem conseguir o maior “time per person”, não necessariamente nessa ordem. Tem gente que quer ser “freela” quando o assunto é amor.

A casa vira uma empresa, o casamento um bem de consumo. E dependendo da sua sorte você fica com os bens. A Lei até facilitou o divórcio. Devem estar prevendo que amor se tornará uma instituição falida.

Alias, alguém falou de amor? Em breve, uma nova reforma ortográfica vai eliminar de vez esse vocábulo de livros e dicionários. E as declarações de amor? Se já não foram extintas, serão tão raras e rápidas que vão ser dignas de “retweet”.

O “deadline” do amor está próximo. De repente, a modernidade abriu um notável espaço para o desamor. Melhor ficar em modo “stand by”.

10 comentários:

Pedro André Ludwig disse...

Muito boa tua 'crônica' (esta palavra também já não se usa mais né) ... vc descreveu muito bem a situação ... e por falar em stand by, já tô nessa a um tempão ...rsrsrsrs
abraço!!

Vanessa Cornélio disse...

Ahhhh o amor! De tão desiludida, prefiro não comentar. Eis a situação!
Mas p'rA não passar em branco, passo mais tempo comigo e quem sabe até escrevo um pouco mais. srsrs

http://migre.me/14AuN - O mesmo amor

Bjs linda
adoro sua perspicácia

Bruna disse...

Achei incrível seu post Kah! Acho que muitos relacionamentos hoje são superficiais. Vemos quantos casais se casam e descasam na mesma hora.É absurdo! Aquilo de: na alegria na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza a cada dia fica mais pra tras! Tenho medo dessas cosias! SOu muito a moda antiga e dou tanto valor a essas coisas... quanto for pra casar eu quero que seja de verdade. Se tiver crise, que saibamos resolver. Mas em especial, que saibamos conversar...

Adorei!

Beijos!

Raphael disse...

Excelente texto! Retratou perfeitamente como as pessoas enxergam os relacionamentos hoje em dia: saciamento das "vontades do eu".

Minha própria avó, que nasceu num tempo e lugar onde homem e mulher mal se beijavam antes do casamento, me fala que é melhor não se "amarrar" a ninguém, e viver a vida.

Talvez os casamentos mal arranjados e "obrigatórios" do passado resultaram em histórias de relacionamentos traumáticos ou fracassados, fazendo com que a atual geração, filha destes relacionamentos, se veja impelida a evitar supostos e inerentes fracassos, procurando o prazer imediato do que o problema que o relacionamento a longo prazo pode trazer.

A verdade é que as "vontades do eu" estão por toda a parte.

Pierre Schurmann disse...

Karina,

Parabéns por teu texto. Minha ignorância era grande, uma vez meu conhecimento se restringia a teus posts de twitter.

Agora vejo que, além de conseguir escrever de forma sucinta, tambem tem profundidade.

Parabens
P

Carlos Rocha disse...

Onde posso assinar? Tudo o que escreveu, é a MAIS PURA VERDADE. Infelizmente! As pessoas não sabem mais o que é o amor, o carinho, o respeito, a ternura...O amor, o adjetivo mais importante do Mundo está ficando "pixelizado". Em breve, mas muito em breve, os próprios padres irão discussar nos casamentos: "O Sr. @João aceita-se casar com a Sra. @Maria?"
Vamos espalhar o amor para que não seja algo extinto das novas gerações.

edufilo disse...

Karina, porque uma moça tão bela e cheia de vida está em stand by?
Não seja tão exigente e dê oportunidade para aquele que está do seu lado, bem próximo...

Enfim, deixando esse conselho de lado e analisando o seu texto assino em baixo do que foi dito e o importante é não irmos nessa onda.

Beijos
Edu

Elizabeth ~ disse...

Menina como escreve bem, tô adorando ler-te, tu deveria pensar em seguir esse caminho, é bem bacana, e inteligente sua escrita, parabéns, continue assim! e adorei o texto, infelizmente, o rumo que as coisas seguem, não podemos mas esperar muito, sentimento inexplicaveis, as pessoas tem perdido suas essencias, nesse turbilhão de novidades! heehhe bjuuu

Wesley Viana disse...

"Enquanto o tempo
Acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora
Vou na valsa
A vida é tão rara..." (Lenine)

Eu quero é o "amor romântico"

KAtheRyNA disse...

Caraca Wesley... eu simplesmente AMO essa música do Lenine!